Endereços para impressionar sua (seu) pretendente

Confira uma lista de sete estabelecimentos de tirar o fôlego, na medida para ir a dois

9.out.2012 | Atualizada em 8.mar.2013 por Redação VEJA SÃO PAULO

O que não falta em São Paulo são endereços para quem quer fugir da mesmice. Para ir a dois, há lugares de tirar o fôlego, capazes de impressionar qualquer pretendente. É o caso de recém-inagurado bar., no Jardim Paulistano, espalhado por dois elegantes pisos (dá até para curtir jazz e blus ao vivo sob uma jabuticabeira). Já o clássico bar do Terraço Itália tem uma das vistas mais lindas da cidade, que chega a emocionar. Veja a relação completa abaixo:

Garçom servindo champanhe no bar do Hotel Emiliano

Garçom servindo champanhe no bar do Hotel Emiliano (Foto: Fernando Moraes)

Panorâmica feita a partir do restaurante The View

Panorâmica feita a partir do restaurante The View (Foto: Fernando Moraes)

Rocket Martini, coquetel do bar SubAstor

Rocket Martini, coquetel do bar SubAstor (Foto: Divulgação)

Salão com sofás de veludo, do bar Brasserie des Arts, no Jardim Paulista

Salão com sofás de veludo, do bar Brasserie des Arts, no Jardim Paulista (Foto: Fernando Moraes)

Salão do bar Número, projeto de Isay Weinfeld, nos Jardins

Salão do bar Número, projeto de Isay Weinfeld, nos Jardins (Foto: Fernando Moraes)

Salão do bar The View, no Transamérica International Plaza Flat

Salão do bar The View, no Transamérica International Plaza Flat (Foto: Mario Rodrigues)

<p>	Bar Skye, na cobertura do Hotel Unique</p>

Bar Skye, na cobertura do Hotel Unique (Foto: Fernando Moraes)

<p>	Bar Skye, na cobertura do Hotel Unique</p>

 Bar Skye, na cobertura do Hotel Unique (Foto: Mario Rodrigues)

<p>	Ambiente do bar SubAstor, na Vila Madalena</p>

Ambiente do bar SubAstor, na Vila Madalena (Foto: Fernando Moraes)

Ambiente do bar Baretto, no Hotel Fasano

Ambiente do bar Baretto, no Hotel Fasano (Foto: Gustavo Lourençao)

Coquetéis Kir Royal e Bue, do Baretto, bar do Hotel Fasano

Coquetéis Kir Royal e Bue, do Baretto, bar do Hotel Fasano (Foto: Fernando Moraes)

Coquetel organic, criação do barman Marcelo Serrano, do bar Brasserie des Arts, no Jardim Paulista

Coquetel organic, criação do barman Marcelo Serrano, do bar Brasserie des Arts, no Jardim Paulista (Foto: Fernando Moraes)

bar.:  o lugar encanta pela versatilidade. Dá para se jogar na pista do 2º piso ao som de rock e música eletrônica ou curtir jazz e blues ao vivo na varanda aos domingos. A estrela da casa é a carta de bebidas, assinada pelo mixologista Márcio Silva, consultor de bares como oSubAstore oLa Maison Est Tombée. Da lista de drinques revisitados, prove o bramble de gengibre, feito com gim, licor Chambord, limão-siciliano e xarope de gengibre, que confere frescor à mistura. Na cozinha, o chef Marcos Lee prepara sugestões criativas e de pegada mais contemporânea. Ótima, a costela suína ao molho de framboesa descansa vinte minutos no forno para ficar à pururuca. Chega à mesa ao lado de pão chinês cozido no vapor.

O salão do térreo e a jabuticabeira na varanda do bar.: badalação
O salão do térreo e a jabuticabeira na varanda do bar.: badalação
(Foto: Lucas Lima)

Baretto: aninhado no térreo do elegante Hotel Fasano, o bar tem paredes forradas de veludo cotelê, piso de peroba rústica e sofás franceses de couro verde. Diariamente, dois conjuntos embalam a noite: o trio de Moacir Zwarg (das 9 da noite à 1 da madrugada) e o quarteto do também excelente pianista Mário Edison (até as 3h). Eles acompanham a voz das cantoras Lorena Lobato, Anna Setton, Marcela Copiano e Giana Viscardi em standards do jazz, da MPB e da canção americana. O barman Walter “Bolinha” executa com primor o cosmopolitan.

Brasserie des Arts: filial de uma casa de Saint-Tropez, na Riviera Francesa, o endereço tem perfil versátil. Pode-se tanto jantar ao som de house e deep house como curtir o clima de bar da varanda e do lounge. O competente Marcelo Serrano (ex-MyNYBar) assina e executa a carta de quarenta receitas. Dezoito delas são autorais, a exemplo da organic, mistura de gim escocês Hendrick’s, semente de zimbro macerada, vinagre orgânico de maçã e açúcar demerara servida num copo de conhaque com um cubo de gelo. Da cozinha, prove o ceviche de peixe-branco e camarão.

Divine Wine Bar: bicampeã da categoria para ir a dois no especial “Comer Beber”, a casa oferece tudo o que os namorados procuram. Intimista, está instalada num imóvel subterrâneo. Também dispõe de pequenas mesas e confortáveis sofás, perfeitos para um bate-papo reservado. A 2 metros do piso, a bela adega para 400 garrafas guarda 160 rótulos. Em taça, são vinte sugestões, entre elas o sul africano Simonsig Pinotage 2007. Para acompanhar, peça a polentinha cremosa d’agneau, coberta por um rico ragu de cordeiro com toque de ameixa-preta e especiarias.

Garrafas expostas no balcão do Divine Wine Bar: alguns dos 160 rótulos
Garrafas expostas no balcão do Divine Wine Bar: alguns dos 160 rótulos
(Foto: Fernando Moraes)

Emiliano: de atmosfera serena, situa-se entre o lobby e o restaurante do elegante hotel. A iluminação baixa e as velas nas mesas deixam o clima propício para a sedução no jantar. Embora com preços acima da média, os drinques se destacam na completa carta de bebidas. De paladar suave, o amazon martini combina gim inglês, polpa de açaí e refrigerante de guaraná.

Número: firmou-se como um QG exclusivista da high society paulistana. Para garantir a entrada, é necessário fazer reserva. Show à parte, a ambientação assinada pelo arquiteto Isay Weinfeld esbanja elegância. Destaca-se também a animada trilha tocada via MP3, na qual podem aparecer Rolling Stones, Lana Del Rey, Talking Heads, David Guetta e até Seu Jorge. O forte do cardápio são os coquetéis, elaborados pelo mestre Derivan Ferreira de Souza. Apesar do nome, o hendrick’s violet martini é servido no copo bola (baixo), com uma esfera maciça de gelo dentro. Sua composição traz gim inglês Hendrick’s, xarope de violeta, açúcar de baunilha e espumante brut. No piso inferior, há uma pistinha de dança, sem dia certo para funcionar.

SubAstor: sem ligação com a rua, faz o gênero speakeasy — como eram chamados os bares clandestinos da época da Lei Seca americana. Para descobrir o ambiente, animado por faixas de rock, soul e jazz, é preciso atravessar o salão do Astor e descer três lances de escada. No balcão ou nas poltronas, delicie-se com as sugestões da carta de coquetéis. O rocket martini, por exemplo, faz uma interessante mistura de gim com licor e extrato de lichia, mais purê de morango e folhas de rúcula.

Terraço Itália: casais sobem ao topo do Edifício Itália em busca de agradáveis momentos em seu piano-bar, no 42º andar do prédio. À moda antiga, o salão de iluminação difusa tem poltronas bem próximas às paredes envidraçadas, de onde se contempla uma das mais bonitas vistas da cidade, a 160 metros de altura. Em volume agradável, conjuntos de jazz embalam os namoricos. O vigoroso dry martini cai bem para eles e o adocicado rossini (prosecco e polpa de morango), para elas.

The View: um elevador conduz até o salão de paredes envidraçadas, de onde é possível admirar uma bela vista panorâmica da cidade. Para fazer tim-tim, há drinques e seis sugestões de vinho em taça (o chileno Santa Alvara Cabernet Sauvignon 2010). Serve pratos como o lombo de cordeiro ao molho de alecrim acompanhado de purê de mandioquinha.

Fonte: http://vejasp.abril.com.br/materia/enderecos-para-impressionar-seu-pretendente

http://www.galanteio.com.br

Anúncios

Marcado:, , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: