Você sofre de namorofobia?

Namorofobia: aversão ao compromisso no relacionamento amoroso que tem, segundo o terapeuta Sérgio Savian, origem em traumas antigos (términos repentinos, traição, divórcio conturbado dos pais, por exemplo). Não é uma questão de escolha nem uma desculpa de quem não está a fim “no momento” ou não se sente capaz de conquistar alguém.

A namorofobia pode ter origem em traumas antigos. A namorofobia pode ter origem em traumas antigos. / Caroline Bittencourt

Ana Paula, por exemplo, deseja superar o seu bloqueio. “Não quero ficar sozinha para o resto da vida”, confessa. “De repente” foi como o ex-namorado da assistente de marketing de 20 anos acabou a relação. O casal estava junto havia dois anos quando o moço disse que “precisava se dedicar à faculdade”. Ela perdeu 4 quilos em uma semana de tanta dor de cotovelo; ele logo engatou um romance com uma colega de curso.

Depois dessa, Ana não consegue mais pensar em relacionamento sério. Em um ano ela teve alguns ficantes, mas ainda não se imagina dando um passinho à frente. “A partir do momento em que o cara começa a gostar de mim, eu me afasto. Quando penso em namoro só vem à minha cabeça estresse, desgaste. Me dá agonia“, desabafa. Angústia, medo e dor de cabeça

Isso também acontece com a analista de mídias sociais Victoria, 25 anos. “Virou sinônimo de angústia, medo e dor de cabeça.” Ela chegou à conclusão de que não sabe mais dividir seu coração. “Quando gosto muito eu me anulo. E sofro desde o início pensando que não vai dar certo.” E acaba não dando mesmo. “Preciso amadurecer para deixar de ver o namoro comosofrimento“, admite.

A real é que namorar só se aprende namorando, segundo a psicóloga Ana Cristina Pletsch, coordenadora do curso de psicologia da Universidade Anhembi Morumbi. “Ao contrário do que muitos pensam, o conjunto de comportamentos que envolvem o namoro não é natural. Tem de aprender com a própria relação”, recomenda. “O que deu certo no passado pode ser motivo de briga agora e vice-versa. Para dar certo é preciso que a dupla esteja disposta a resolver os conflitos que forem aparecendo.”

medo de enfrentar esses conflitos naturais é comum entre os namorofóbicos. Também o receio de perder a individualidade e “deixar de ser você mesmo” ou de, após todo oinvestimento sentimental e de tempo, a relação não dar certo é motivo para evitar o compromisso mesmo quando se está apaixonada e é correspondida. “Há pessoas que encaram o término como um fracasso e não querem se arriscar a passar por isso de novo. Elas temem sofrer ou fazer o outro sofrer“, conta.

No fim das contas todos saem perdendo. Se os namorofóbicos penam com sua condição, quem se apaixona por eles sofre ainda mais. A microempresária Thaila dos Anjos passou quatro de seus 23 anos enrolada com um carinha que dizia: “Gosto de você, só que não consigo namorar“. Durante esse tempo cheio de idas e vindas, sete meses foram bem intensos. “A gente se via pelo menos três vezes por semana e tinha uma relação de amizade, paixão, cumplicidade, carinho. Era como um namoro, só que não podia ter esse nome.”

Quem se sente incomodado deve buscar tratamento.Quem se sente incomodado deve buscar tratamento. / Caroline Bittencourt

Maior rolo

Verdade seja dita, muitas vezes o paquera que jura ter problemas sérios em se relacionar para valer apenas não está tão a fim de assumir a ficante do momento. “Tem menina que dá tanto azar que depois de ser enrolada um tempão o cara conhece outra e começa a namorar. Isso sinaliza que tinha mesmo algo naquela relação que não lhe despertava o desejo de se comprometer”, comenta Ana Cristina.

Namorofóbicos devem buscar tratamento? “Se a pessoa quer namorar e não consegue, sim. Agora, se não namorar for uma escolha genuína e consciente, tudo bem. A terapia só é recomendada quando existe incômodo“, explica Ana Cristina. “A escolha é consequência do autoconhecimento. Você experimenta a vida e as relações e forma seu conceito do que serve ou não. Porque é possível ser feliz ou infeliz sozinho ou acompanhado”, conclui Savian.

O que vocês pensam sobre o assunto, meninas? Vocês se identificaram com a matéria?

Fonte: http://gloss.abril.com.br/materia/namorofobia

http://www.galanteio.com.br

Anúncios

Marcado:, , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: